Aniversário na quarentena com festa virtual para as crianças
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Aniversário na quarentena com festa virtual para as crianças

Aplicativos como Google Hangouts e Zoom estão ajudando famílias a festejarem o aniversário dos filhos com família e amigos

Redação Divirta-se

02 de abril de 2020 | 05h00

Nathalia Molina, especial para o Estado

Duas coisas você tem certeza de encontrar quando vai a uma festa de criança no Brasil: docinho e barulho. Para garantir a alegria de filhos que fazem aniversário durante a quarentena por causa do novo coronavírus, muitos pais vêm se empenhando em criar essa atmosfera, ainda que seja no contato através de uma tela. Recursos tecnológicos do mundo corporativo, comumente usados para reunir equipes, juntam agora uma galerinha bem mais animada.

Diante do isolamento social para tentar conter o avanço da covid-19, Marina Bendix viu a filha, Stela, ficar triste com a proximidade dos seus 7 anos. “Eu já tinha dito para ela: ‘filha, neste ano, não tem aniversário. Um monte de criança vai passar por isso e você é mais uma’. Ela ficou chateada porque ama aniversário. Mas sabe de tudo, do vírus. Duas semanas antes, a gente veio trazendo essa situação, então no dia isso já estava muito mastigado para ela”, explica a mãe.

Marina tinha imaginado que elas passariam o domingo 29 de março apenas com Otávio, ex-marido e pai de Stela. Para alegrar a menina, ela pediu a amigos e parentes que enviassem por celular vídeos desejando um feliz aniversário. “Alguns pais sugeriram: ‘Por que você não faz virtual?’ Eu tenho um pouco de preguiça, minha tolerância é zero para essas coisas. Acho que a internet pode não funcionar. No fim, a coisa fluiu, não caiu. Foi superdivertido.”

Stela com os pais, Marina e Otávio, festejando o aniversário online – Foto: Daniel Teixeira/Estadão

O dia de pequena Stela esteve repleto de atividades e lives. “Quando ela acordou, a gente deu os presentes que minha irmã tinha enviado. A avó fez um bolo e mandou para cá.” Depois disso, foi vídeo o tempo todo: “Teve Zoom com as minhas amigas que acompanham o crescimento da Stela, com as colegas dela de patinação no clube, com a minha família. Chegou uma hora que ela estava ‘oi’ e ‘tchau’.”

Antes de ocorrer a pandemia, Stela queria fazer uma festa do pijama com as amigas. Marina, no entanto, não pensa em retomar a ideia mais para frente. “Já foi assim. E acho que vai demorar para isso acabar”, diz a mãe. “Tem uma importância em ter sido dessa forma. Fazer o encontro físico tira o peso. Nada está sendo à toa.”
Engajada em sustentabilidade – Marina mantém o brechó online Bendix Choices e presta consultoria de revitalização de guarda-roupa –, ela acredita que este momento pode ajudar adultos e crianças a entenderem a importância do contato físico. “É interessante pela experiência do novo (fazer festa por vídeo), mas acho que, isso tudo passando, o social vai ter muito valor. Fora dessa situação, a gente não é nada sem o outro.”

Novo público para os aplicativos de reunião

Com o isolamento social recomendado em todo o planeta pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o acesso ao serviço de Hangouts Meet, para chamadas de vídeo pela plataforma do Google, disparou. “Nas últimas semanas, o crescimento no uso do Meet ultrapassou 60% a cada dia. Diante disso, a utilização diária do Meet é hoje 25 vezes maior do que era em janeiro deste ano”, informa um post de 1º de abril no blog da empresa. De acordo com a equipe do Google Cloud, o serviço vem sendo monitorado para que esteja sempre disponível, apesar do aumento da demanda.

Arthur conversou com os amigos de escola por computador no aniversário – Foto: Edgard Aires

Proprietários da Oficina da Mesa, incubadora de negócios de alimentação, Edgard Aires e Jussara Ferreira foram algumas dessas pessoas que usaram o aplicativo para uma nova função: festejar os 7 anos do filho, Arthur. Os três e a pequena Olga, de 2 anos, interagiram com os amiguinhos do menino, convidados para cantar Parabéns pelo Google Hangouts.

“Participo de grupos de coworking e vi o pessoal chamando para happy hour por essas ferramentas. Aí tive a ideia. Criei o horário da reunião, e Jussara fez o bolo e os brigadeiros”, conta o pai. “Peguei a primeira que estava mais fácil. Só não sabia que tinha um limite de pessoas para o modo grátis. Acabou que nem todo mundo ficava online ao mesmo tempo. Caía um, entrava outro.”

Além da organização, os decibéis também são bem diferentes do usual em reuniões de negócios. “Parece festa de criança mesmo. Imagina uma conferência com todo mundo falando ao mesmo tempo”, lembra o pai, rindo da situação. O aniversariante aprovou a bagunça: “Arthur foi dormir hiper feliz. Perguntei a ele o que tinha achado do dia para eu contar na entrevista. Ele me disse que gostou.”

Parabéns no buffet após o fim do isolamento

A festa dos irmãos Maria Luiza, de 1 ano, e Moisés, de 3, não foi cancelada. Por enquanto, teve de ser adiada. Assim os pais, Jacqueline e Igor Lemos, estão encarando a situação frustrante de terem suspendido a comemoração. “Estava marcada para 21 de março. Joguei para 27 de junho, mas vou acompanhando o cenário para ver como fica”, diz a mãe. “Aqui em Campinas demorou para ter todo mundo parado. No dia do aniversário da Maria Luiza (17 de março), que eu cancelei a festa e comecei a tomar pé do tamanho da situação.”

Durante um ano, os pais planejaram a celebração dos filhos. O pequeno Moisés completou 3 anos em 6 de fevereiro, mas entendeu que iria festejar só depois do aniversário da irmã. A comemoração com família e amigos seria num espaço com quintal, com o tema pirata e sereia – tinha fantasias compradas para os dois. “Pensei na possibilidade de fazer a festa só no ano que vem, mas meu marido e eu queremos ter o registro de 1 ano da nossa filha.”

Um primo havia sugerido a Jacqueline que, só para marcar o momento, fizesse o Parabéns virtual, mas ela não se animou muito com a ideia. “Só que, no dia que seria o aniversário no buffet, o Moisés acordou e me disse: “Mamãe, hoje é a minha festa’. Aquilo me partiu o coração. Corri para falar com meu primo, e ele montou o hangout”, conta Jacqueline. “Chamei mais a família e dois amiguinhos do Moisés. Fiz um bolinho em cima da hora, em casa mesmo.”

Maria Luiza e Moisés com os pais, Jacqueline e Igor, festejando com família e amigos – Imagem: Reprodução

Jacqueline se surpreendeu com cartazes dizendo “Parabéns, Malu e Moisés”, feitos por participantes. “Eu não tinha planejado o virtual. As pessoas se prepararam mais do que a gente”, lembra a mãe. “Foi um consolo.”
Cecilia, amiguinha de Moisés, botou o chapéu de pirata que a mãe tinha comprado para ela usar na festa temática dos irmãos, mas, aos 3 anos, não entendeu bem o que estava acontecendo. “Ela ficou de bico na live e, depois que desligamos, minha amiga Heidi me contou que a filha chorou porque achou que todo mundo estava na festa menos ela.”

Improvisado, o festejo online alegrou a família. “O Moisés ainda tem na cabeça que vai ter a festinha dele. Expliquei que todo mundo vai cantar Parabéns de novo, que agora tem um bichinho lá fora e ninguém pode sair. Como ele é pequenininho, com o vídeo ele visualizou que não é só ele que tem de ficar em casa.”

Como organizar a festa com decoração, bolo e docinhos

Para quem quer reproduzir uma festa de aniversário, com a mesa montada diante da câmera, a opção é reciclar enfeites de anos anteriores, criar a decoração fazendo arte com a criança ou comprar os produtos em sites de grandes varejistas, como a Magazine 25 e a Matsumoto.

Bolo, docinhos e salgadinhos podem ser encomendados em empresas especializadas como o Tera’s Buffet – um quilo de bolo custa a partir de R$ 58 (sabor brigadeiro); o cento de brigadeiro, beijinho ou bicho do pé sai a R$ 87 (encomenda mínima de 25 unidades); e o cento de coxinha, croquete de carne ou bolinha de queijo custa R$ 105 (mínimo de 20).

Há mais de 30 anos no ramo, Teresinha Nunes sentiu no negócio as mudanças decorrentes do isolamento. “O tamanho do bolo reduziu. Agora é de no máximo dois quilos, para quatro a seis pessoas”, conta Teresinha Nunes, proprietária do Tera’s Buffet. “Mas nós oferecemos toda a parte de alimentação, o kit festa completo para as pessoas não deixarem de celebrar a vida mesmo em momentos difíceis como este.”

Como fazer uma comemoração de aniversário online

Com a internet, é possível organizar chamadas em grupo por vídeo e manter a comemoração viva – talvez com um pouco de delay entre os participantes. O alcance pode ser variado. A depender do app, entre 4 e 100 pessoas podem participar da transmissão de vídeo ao vivo simultânea, seja pelo celular ou pela tela do computador. E aí vale tudo: apps de uso mais pessoal ou até empresarial. Você pode conferir abaixo quatro apps que separamos e oferecem como recurso de poder realizar videoconferências.

Google Hangouts: É plataforma do Google para chats e videoconferências, completamente gratuita. Os usuários podem entrar na plataforma em hangouts.google.com para montar conversas em grupo. Há duas opções: uma é abrir uma chamada de vídeo e convidar as pessoas por e-mail ou gerar um link, copiar e apenas enviar o link gerado por texto para as pessoas que querem fazer parte. Até 25 pessoas podem fazer parte da chamada em vídeo. Disponível para computador e todos os sistemas operacionais para celular.

WhatsApp: O aplicativo de troca de mensagens mais usado no Brasil também dá a possibilidade de fazer chamadas em vídeo. O único problema é o número de pessoas reduzido: apenas quatro podem fazer parte, simultaneamente. Para isso, basta montar um grupo no WhatsApp, clicar no ícone de chamada, na parte superior da tela, escolher a parte de vídeo e convidar até três outros membros do grupo para fazer parte da ligação. Disponível apenas no celular, para todos os sistemas operacionais.

Skype: Popular desde o começo deste século, o Skype é o app mais tradicional para chamadas, em áudio ou vídeo. No celular, até 25 pessoas podem fazer parte da chamada de vídeo, que, para ser feita, exige que todos tenham uma conta na plataforma. Para usar o recurso, antes adicione todos os usuários que farão parte, clique em “Na lista de Chamadas” e vá para a opção “Iniciar uma nova chamada”, selecione “Nova chamada em grupo” e escolha os participantes para os quais você deseja ligar. Por fim, basta selecionar o ícone da câmera para efetuar a ligação em vídeo. Disponível para computador e todos os sistemas operacionais para celular.

Zoom: Dos mencionados, o Zoom é o único que tem um foco mais voltado para o uso corporativo. A vantagem dele é o maior número de pessoas que podem acessar: até 100, mas com limite de duração de 40 minutos, na versão gratuita. Para começar a videoconferência, clique em “Nova reunião”, depois em “Iniciar uma reunião”, vá para a aba “Participantes” e, na aba Convidar”, selecione a opção de copiar link. Após isso, basta enviá-lo para as pessoas que você deseja que façam parte da chamada. Disponível para computador e todos os sistemas operacionais para celular. / COLABOROU LEVY TELES, ESPECIAL PARA O ESTADO

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.