As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Com ou sem teste, fique longe de mim

Redação Divirta-se

26 de março de 2021 | 05h00

RÊ PROVA

Toda semana, Renata Mesquita vai reprovar absurdos vistos por aí nessa nova rotina imposta pela pandemia. 

Há uma frase que tem surgido com certa frequência no meu cotidiano pandêmico: “Acabei de fazer teste de covid, deu negativo, estou zerada, vamos nos encontrar?”. Tenho certeza de que você já ouviu algo parecido. Fiz o exercício de tentar encontrar quantos erros existem nessa interrogação. Pensem comigo, começando pelo fim: “Vamos nos encontrar?”. Eu poderia acabar a coluna desta semana por aqui. É simples: com ou sem teste, com ou sem anticorpos, o momento não está propício para encontros. O que as pessoas não entenderam ainda é que estamos em uma situação ainda pior do que um ano atrás – lembra quando as taxas de confinamento estavam na casa dos 57%? Agora não chegam nem a 50% e, se você não se ligou, as mortes estão atingindo recordes diários. Pense bem, se você ficou em casa no ano passado, agora, mais do que nunca, você precisa ficar aí de boa, senão não valeu absolutamente nada (precisava desabafar isso antes de continuar!).

Mas vamos adiante. Você fazer o teste hoje não garante praticamente nada. 1) Ele pode dar falso negativo – já vi acontecer com pessoas próximas. 2) Você pode muito bem ter feito o teste no dia “errado”, ou seja, a doença ainda não está presente no seu sistema e ainda não se manifestou. 3) Você não estar contaminado não quer dizer que eu não possa estar…

Vale lembrar também que, no momento, nem com a segunda dose da vacina é para você sair saçaricando por aí. Ainda vivemos tempos muito incertos sobre a evolução dessa doença, é tudo muito novo. Então, não é uma foto do seu exame negativo que vai me passar segurança para te encontrar. Desculpa, estou com saudades também, mas no momento, infelizmente, ainda não existe passe livre.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.