Wake up

Sonia Racy

18 de maio de 2013 | 01h16

No embate da MP dos Portos, um dos grandes perdedores foi a Abratec, associação dos terminais de containers arrendados – leia-se Daniel Dantas e Richard Klein. Apesar de, à primeira vista, não parecer.

Queriam emplacar emenda defendida por Eduardo Cunha, que definia a renovação de suas concessões automaticamente. Aprovada, evitaria o mesmo calvário pelo qual passou o setor elétrico na hora da renovação. Foi onde o governo impôs condições bem menos atrativas.

Agora, ante a emenda (parecida) aprovada, de Sibá Machado, eles “poderão” sim ter contratos prorrogados. Mas ficarão à mercê de condições impostas pelo governo federal.

Wake up 2

Qual era o passatempo dos deputados, anteontem de manhã, na Câmara? Fiscalizar as roupas uns dos outros. Para saber quem tinha ido em casa tomar banho ou dormir.

E para aguentar virar a madrugada na novela MP dos Portos houve até “contrabando” de café expresso para o plenário. A entrada de comida e bebida no recinto não é permitida pela direção-geral.

Wake up 3

Nem bem se recuperou do sufoco e o Planalto já sabe quando terá de enfrentar Eduardo Cunha de novo: ao enviar ao Congresso o marco regulatório da mineração.

O deputado vai usar o fato de o governo ter empurrado a MP dos Portos goela abaixo para estender ao máximo o debate.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.