Wagner Moura critica, em vídeo, busca policial em escola do MST

Sonia Racy

04 de novembro de 2016 | 13h08

O ator Wagner Moura gravou um  vídeo manifestando repúdio à operação de busca realizada na manhã desta sexta-feira, 4, por integrantes do Garra na escola nacional Florestan Fernandes, do MST. Em sua fala, o ator declara que, “se alguém tinha dúvidas de que o Brasil vive um estado de exceção, um estado policialesco, a invasão da escola Florestan Fernandes pela polícia é uma demonstração covarde de truculência típica de regime de exceção”.

Dez carros da polícia chegaram à porta da instituição, em Guararema (Grande São Paulo), por volta das 9h30. Imagens de segurança do local mostram policiais armados pulando o portão. Segundo o MST, não havia autorização da Justiça para a operação. A policia civil de Mogi das Cruzes afirmou, de seu lado, que os policiais estariam cumprindo um mandado de busca recebido da Policia Civil do Paraná, que procurava uma militante do movimento, Margareth de Souza. 

O cantor e compositor Lirinha, que dava uma palestra no momento, gravou outro vídeo em que afirmou: “No meio da palestra escutamos os tiros, os estudantes se mantiveram juntos (…) Mais uma prova de que estamos em um estado de suspeição da democracia”. 

Até o início da tarde da sexta-feira, a Secretaria de Segurança Pública não havia se manifestado sobre o episódio.

Tudo o que sabemos sobre:

wagner mouramstflorestan fernandes

Tendências: