Voto de fé

Sonia Racy

23 de maio de 2014 | 01h02

Pode parecer surpreendente à primeira vista, mas as reformas tributária e política integram o rol de exigências da Confederação de Conselhos de Pastores do Brasil – leia-se Universal, Assembleia de Deus e Sara Nossa Terra, entre outras igrejas – para os candidatos em 2014.

A entidade fechou, quarta, texto com onze compromissos a serem encampados pelos políticos que “esperam apoio dos homens e mulheres tementes a Deus e que desejam ver a nossa nação abençoada pelo favor divino”.

Coisa de pelo menos 20 milhões de votos.

Voto de fé 2

O ponto central do documento é não transformar em lei questões pra lá de polêmicas – como legalização do aborto, casamento gay e adoção de crianças por casais do mesmo sexo.

Os evangélicos exigem ainda que os candidatos sejam contra a liberação das drogas, “a erotização infantil” e “a desconstrução da heterossexualidade”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: