Vlado na Tutoia

Redação

27 de junho de 2009 | 06h00

A ideia circulou entre poucos, anteontem, no lançamento do Instituto Vladimir Herzog, na Cinemateca: montar sua sede na antiga Oban da rua Tutóia, exatamente onde Vlado foi morto em 1975.

“O valor simbólico seria enorme”, disse Alberto Goldman, o autor. Mas como a área é do II Exército, “há longas conversas pela frente”.

Há um precedente. O antigo Deops abriga hoje o Memorial da Resistência. Só que ele não era do Exército.

Veja também:
mais imagensConsul Jean Marc Gravier capitaneia jantar em homenagem a Leon Cakoff
mais imagensInstituto Vladmir Herzog tem lançamento na Cinemateca

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: