Vive le sambá

Redação

23 de fevereiro de 2009 | 17h13

Um executivo francês, Alexis de Vaulx, conseguiu um feito raro na avenida: ter seu nome mencionado pelo puxador de samba da Grande Rio, Wantuir – privilégio só concedido a presidentes de escola.

Mereceu. Conseguiu R$ 8 milhões em patrocínios para a escola, da Renault e outras empresas francesas.

Leia outras notas no blog da coluna Direto da Fonte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.