Bonduki admite melhorar a Virada, mas sem segregá-la

Sonia Racy

07 Dezembro 2016 | 00h15

Ex-secretário de Cultura de Haddad, Nabil Bonduki entende que a Virada Cultural precisa ser repensada e aperfeiçoada mas que deve permanecer no centro de SP. “Se for para Interlagos, o evento ficará segregado e também será descaracterizado”, afirmou ontem.

Sua avaliação é que o movimento de Doria pró-Interlagos deve ter como pano de fundo facilitar a captação de patrocínios.

Transferir a Virada valorizaria a concessão do autódromo.

E a Cultura quer diálogo com lideranças   

Depois de ter afirmado, em nota oficial, que a Virada continuará acontecendo no centro, André Sturm está de olho em janeiro. À coluna contou que sua equipe já agendou encontros com lideranças culturais.

“Vou chamar os representantes das manifestações artísticas para entender a atual produção e pensar em como a Secretaria da Cultura pode atuar como um agente catalisador”, afirma.

Tombar a Virada 

A Minha Sampa lançou ontem mobilização online para manter a Virada no centro. Pretende pedir ao Conpresp o tombamento do evento como patrimônio cultural imaterial.