Via crucis

Redação

24 de maio de 2009 | 06h00

O empresário Oscar Maroni disse ter acumulado em 18 meses 162 tickets de estacionamento da Prefeitura e do Prédio Martinelli. Ele tenta liberar o prédio do hotel Bahamas, interditado após o acidente da TAM em Congonhas.

“E não achei um engenheiro que mostre o que é ilegal”, diz. A prefeitura diz que há várias irregularidades.

Veja também:
documentoOutras notas no blog da coluna Direto da Fonte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.