Veia conciliadora

Sonia Racy

21 de dezembro de 2010 | 23h09

Convidado por Dilma no sábado para assumir o Ministério da Saúde, Alexandre Padilha teve postura rara. Foi no domingo ao Hospital Sírio Libanês conversar com Gonzalo Vecina, médico também cotado para o cargo. Tomou antes um café com Paulo Chap Chap e Roberto Kalil, para depois sentar-se com Vecina. Em uma longa conversa a dois, discutiram o futuro da saúde pública no País.

Em tempo: Padilha não saiu do hospital sem visitar o ex-ministro Luiz Gushiken, que se encontra internado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: