Vale elabora proposta de indenização a parentes de trabalhadores mortos

Vale elabora proposta de indenização a parentes de trabalhadores mortos

Sonia Racy

08 de fevereiro de 2019 | 18h12

BRUMADINHO, ONDE BARRAGEM DA VALE SE ROMPEU. FOTO: WILTON JUNIOR/ESTADÃO

BRUMADINHO, ONDE BARRAGEM DA VALE SE ROMPEU. FOTO: WILTON JUNIOR/ESTADÃO

A Vale discutiu a indenização de seus trabalhadores vitimados na tragédia de Brumadinho nesta sexta-feira, 8, em encontro com o Ministério Público do Trabalho. A mineradora, segundo seus advogados, se propôs a pagar indenização – por meio de pagamentos mensais – às famílias dos falecidos, além de dar plano de saúde e auxílio educação.

A proposta inclui o pagamento de R$ 300 mil aos cônjuges e a cada filho das vítimas, R$ 150 mil para o pai, R$ 150 mil para a mãe e R$ 75 mil para cada irmão.

A empresa ratificou que o valor de R$ 100 mil pago a título de doação não será deduzido do valor das indenizações.

A mineradora também propõe pagar plano de saúde vitalício para os viúvos e companheiros dos trabalhadores falecidos. Dependentes teriam plano até completar 22 anos.

Pela proposta, os filhos de até 3 anos receberiam auxílio creche de R$ 920 e os dependentes até 18 anos receberiam auxílio educação de R$ 998.

Confira os pontos da proposta:

1. Danos materiais: Para fins de acordo imediato, indenização correspondente a 2/3 de 1 (um) salário mensal líquido até a data em que o trabalhador completaria 75 anos.
Danos morais: Para fins de acordo imediato, indenização contemplando os parentes mais próximos, da seguinte forma:
Cônjuges ou companheiras(os): R$ 300 mil;
Filhos: R$ 300 mil para cada um;
Pai e mãe: R$ 150 mil para cada um;
Irmãos: R$ 75 mil para cada um.

Esses compromissos são independentes da doação de R$ 100 mil que já está sendo paga pela Vale (186 ja foram realizadas).

2. Alem disso, a Vale assume publicamente o compromisso de cumprir espontaneamente e de imediato:

Garantia de emprego ou pagamento de salários aos empregados próprios de Brumadinho até 31/12/2019.

Plano médico (regime de credenciamento, com abrangência em todo o Estado de Minas Gerais), sendo:

– Vitalício, para as viúvas(os) ou companheiras(os) dos trabalhadores (próprios e terceirizados) falecidos;
Até completar 22 anos, para os dependentes dos trabalhadores falecidos.

– Atendimento psicológico aos trabalhadores até a alta médica.

– Auxílio creche de R$ 920,00 considerando os filhos de trabalhadores de até 3 anos.
Auxílio educação R$ 998,00 para filhos de trabalhadores até a data em que completarão 18 anos.

Leia mais notas da coluna:
Edemar Cid Ferreira quer que STJ suspenda pagamentos do Banco Santos
Velejadores brasileiros são libertados em Cabo Verde

Tudo o que sabemos sobre:

Vale [empresa mineração]Brumadinho

Tendências: