Vale celebra novo acordo trabalhista de reparação às vítimas de Brumadinho

Sonia Racy

22 de fevereiro de 2019 | 17h02

BRUMADINHO, ONDE BARRAGEM DA VALE SE ROMPEU. FOTO: WILTON JUNIOR/ESTADÃO

BRUMADINHO, ONDE BARRAGEM DA VALE SE ROMPEU. FOTO: WILTON JUNIOR/ESTADÃO

A Vale celebrou nesta sexta-feira, 22, um novo acordo trabalhista para reparação às vítimas da tragédia de Brumadinho. O texto abrange garantia de emprego aos sobreviventes, além de fornecimento de atendimento médico, auxílio-creche e auxílio-educação aos dependentes das vítimas.

A mineradora se comprometeu a manter, até 31 de dezembro, o emprego ou o salário dos funcionários próprios que trabalhavam no sítio de Brumadinho no dia do rompimento da barragem. Os terceirizados serão realocados em outras prestadoras de serviços, na própria Vale ou receberão indenização correspondente aos salários.

A Vale vai fornecer atendimento médico e psicológico aos dependentes dos mortos e desaparecidos até que eles façam 22 anos. Para cônjuges a obrigação será vitalícia. Além disso, pagará auxílio-creche de R$920,00 por mês aos filhos de até 3 anos e auxílio-educação no valor de R$998,00 por mês aos filhos entre 3 e 18 anos.

“Com esse novo acordo, a Vale confirma o cumprimento do compromisso público de prestar devida assistência em razão do evento de forma consensual e no menor prazo possível”, disse à coluna Maurício Pessoa, advogado da mineradora.

O acordo foi supervisionado pelo juiz Ordenisio Cesar dos Santos, da 5ª Vara do Trabalho de Betim (MG), em audiência que contou com a participação do Ministério Público do Trabalho, da Defensoria Pública da União e de várias entidades sindicais.

Em um primeiro acordo trabalhista, fechado na semana passada, a Vale já tinha acertado a liberação do seguro de vida e as despesas com funeral.

Leia mais notas da coluna:
STJ vai analisar propostas do pacote anticrime de Moro
Missa para Boechat acontece amanhã

Tudo o que sabemos sobre:

Vale [empresa mineração]Brumadinho [MG]

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: