Um + um + uma

Sonia Racy

27 de setembro de 2011 | 23h05

Jilmar Tatto, Carlos Zarattini e Marta Suplicy fizeram as contas. Acreditam que, se fecharem acordo em torno de um candidato nas prévias do PT, tenham mais de 50% dos votos.

Luiz Marinho, cabo eleitoral de Haddad, lembra que as primárias do partido são diretas. E aposta na popularidade de Lula e na militância desgarrada, que podem fazer a diferença. Militância que também beneficia Eduardo Suplicy.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: