Um sonho de liberdade

Sonia Racy

06 de janeiro de 2011 | 23h03

André Sturm, dono do Belas Artes, diz que sairá pela cidade em busca de imóvel para abrigar o complexo de salas de cinema. Ele deixará a Consolação até fevereiro.

E defende: “O Belas Artes não é uma parede. É um tipo de programação e de espírito que São Paulo não pode perder”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: