Um só coração

Um só coração

Sonia Racy

20 Julho 2012 | 01h01

PAULO GIANDALIA/AE

Filho caçula de um mito dos gramados, Rodrigo Rivellino não seguiu os passos do pai, Roberto, craque da seleção brasileira campeã do mundo em 1970. Mas deixou uma marca na história das Copas. Foi sua agência de publicidade, a Aktuell, que criou o slogan do Mundial de 2014, Juntos Num Só Ritmo. Logo depois do anúncio da Fifa, ele falou com a coluna.

Como surgiu a ideia?

Foi o processo mais colaborativo que a gente já teve. Demorou dez meses e envolvemos todo mundo. Falamos com o segurança da empresa, a copeira. E mudamos tudo várias vezes! (risos)

Outros slogans foram criados durante o processo?

Para o primeiro grande evento da Copa no Brasil, em julho de 2011 na Marina da Glória, a gente bolou o slogan Welcome to the Land of All Nations. O pessoal da Fifa gostou, mas achou um pouco longo. Vieram, então, Abrace o Sonho de Todas as Nações, De Braços Abertos para o Mundo e Todos os Corações Num Mesmo Ritmo.

Por que a palavra “ritmo”?

Nossa estratégia foi mostrar o novo ritmo do Brasil. Hoje, o País exporta design, tecnologia. Também queríamos passar a imagem de exuberância da natureza e de uma sociedade coesa. É um ritmo que nós, brasileiros, precisamos também conhecer.

Seu pai gostou do slogan?

Nossa, adorou! Posso te dizer que, depois do nascimento dos meus filhos, o dia do anúncio do slogan foi um dos mais emocionantes da minha vida. Eu falei pra ele: “Pai, campeão do mundo eu não fui, mas consegui deixar pelo menos uma marquinha na história das Copas!”. /DANIEL JAPIASSU