Um mais dois

Sonia Racy

08 Outubro 2015 | 00h24

O fundo LetterOne, do russo Mikhail Fridman, está disposto a investir de US$5 bilhões a US$ 8 bilhões na Oi, segundo fonte ligada ao processo. Com uma ressalva: o aporte tem que vir acompanhado de uma fusão com a Tim brasileira, conforme publicou ontem o jornal Valor.
Os detalhes dessa fusão entre Oi e Tim estão sendo negociados pelo fundo de Fridman, com sede na Rússia.