Um jeito só delas

Um jeito só delas

Sonia Racy

08 Março 2015 | 01h20

Foto: Paulo Giandalia/Estadão

Mulheres podem não ganhar tanto quanto os homens, mas as brasileiras, pelo menos, vivem e viverão mais do que seus semelhantes do sexo masculino. Hoje, na população da faixa dos 80 anos, elas são 62%; eles, só 38%. Em 2060, a expectativa de vida delas deve chegar a 84,4 anos, enquanto a deles a 81,2. Os números são parte do estudo Contexto & Tendências, organizado com base na PNAD de 2013. “As mulheres são mais cuidadosas e preocupadas com a saúde. Fazem, por exemplo, mais exames preventivos”, diz Márcia Cavallari, CEO do Ibope Inteligência, que tabulou a pesquisa. “E o papel delas na sociedade também mudou.” Hoje, elas têm maior grau de escolaridade, chefiam 38% dos domicílios e têm cada vez menos filhos – era 6,3 em 1960, chegou a 1,87 em 2010, e a expectativa é que caia para 1,5 em 2060. Infelizmente, ainda ganham menos do que eles, principalmente as mais escolarizadas. Na população com 12 anos ou mais de estudo, a diferença de salário entre homens e mulheres é de cerca de 44%.