Tudo nosso

Redação

20 de dezembro de 2008 | 06h00

Um paulistano daqueles bem tranqüilos foi passar alguns dias em Roraima e voltou preocupado. Instalado por três dias no melhor hotel de Boa Vista, o Aipana – point de políticos e turistas – ele cruzou com:

1. um inglês que tem uma ONG para ajudar ribeirinhos da fronteira:

2. uma italiana que fala bem o português e organiza excursões de europeus;

3. dois alemães que trabalham com exportação de madeira para seu país;

4. um grupo de mórmons americanos que tenta atrair indígenas para sua fé;

5. um norueguês que acompanha projetos na reserva Raposa-Serra do Sol.

É, não vai ser fácil desinternacionalizar a Amazônia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: