Tributo a Duke Lee

Tributo a Duke Lee

Sonia Racy

11 Março 2015 | 01h08

Foto: Divulgação

Ricardo Camargo prepara, com Patrícia Lee, a abertura do Wesley Duke LeeInstitute. A ser montado na casa/ateliê onde viveu e trabalhou o artista, na Rua Frei Galvão, em SP. O galerista foi procurado pela sobrinha de Duke Lee, que conservou intactas a obra e o local (foto).

Segundo Camargo, a casa é um “minimuseu”, com “preciosa biblioteca”, fotografias, os pincéis que ele usava e móveis, só para citar alguns objetos. A ideia dos dois é que o espaço possa abrigar, no futuro, um centro cultural onde seja possível promover cursos e workshops, entre outras atividades que divulguem a obra do artista.

O pré-lançamento do instituto será feito pelo galerista na SP-Arte, que acontece de 9 a 12 de abril. Ao lado do estande de sua galeria – que completa 20 anos –, Camargo montará espaço exclusivo para exibir obras marcantes da carreira de Duke Lee, como a máscara que levou o primeiro prêmio na Bienal de Tóquio, em 1965, e um vídeo com depoimentos de seus amigos e alunos.

Camargo contou que pretende, ainda, imprimir cinco mil folders para divulgar o artista entre outros públicos, como as galerias internacionais que estarão na feira. A inauguração do instituto está marcada para setembro, quando se completarão cinco anos da morte de Duke Lee. Para a data, Camargo prepara mostra, em sua galeria, a fim de angariar fundos – que garantirão a catalogação da obra e a manutenção do museu. /MARILIA NEUSTEIN