Transparência 4

Sonia Racy

10 de novembro de 2010 | 23h07

Três perguntas que não querem calar: como é que a CEF não viu o buraco antes de finalizar a operação de compra de quase metade do banco, pela qual pagou R$ 700 milhões? As auditorias, tanto a da KPMG quanto a da Deloitte, contratadas para fazer a avaliação dos ativos e passivos, falharam?

E por que o BC ficou calado tanto tempo se sabia do problema há quase um mês?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: