Todos por Varejão

Sonia Racy

05 de setembro de 2012 | 01h00

Cariocas em peso desembarcaram no MAM, anteontem, para prestigiar Adriana Varejão. Entre os convidados que pegaram a ponte aérea só para conferir a mostra da artista estavam Walter Salles, Amora Mautner e Pedro Buarque de Hollanda.

Não é para menos. Pela primeira vez, trabalhos inéditos da artista e obras da Fundación La Caixa (Madri), Tate Modern (Londres) e do Guggenheim (NY) compõem panorama de sua trajetória.

Adriana chegou a chorar no almoço para patrocinadores, antes da abertura, ao discursar sobre a exposição: “Não haveria melhor lugar do que São Paulo e o MAM para abrigar essas obras”. Tamanha emoção acabou contagiando Milú Villela, que também deixou escapar uma tímida lágrima.

Além das obras que vieram de fora, estão expostas importantes peças de colecionadores como José Olympio e Ricard Akagawa, entre outras que a artista não via “há mais de 20 anos”.

Recebendo amigos e convidados e elogiada pela elegância, foi indagada sobre o look, respondendo de bate-pronto: “É Gilda Midani”. Minutos depois, a estilista chegou para abraçá-la.

Amora Mautner, diretora da novela Avenida Brasil, fez pequena pausa na bateria de gravações só para ver a mostra e deixou escapar: “Carminha estava meio deprimida, mas agora vai voltar com tudo!”

E entre os gringos que foram conferir a mostra, Julia Peyton-Jones, diretora da Serpentine Gallery, uma das mais prestigiadas de Londres na atualidade. /MARILIA NEUSTEIN

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.