To Citi, or not

Redação

26 de novembro de 2008 | 06h00

Como se esperava, o governo George Bush bancou o Citigroup, rendendo-se ao mote “to big to fail”. Isso enterra os boatos de que o Citi Brasil – um dos poucos ainda lucrativos pelo mundo – poderia ser vendido para engordar o caixa do gigante americano? Pelo que se apurou ontem… mais ou menos.

A passagem de Vikram Pandit, CEO mundial do Citigroup pelo Brasil, na semana passada, teve como motivo a realização, quinta-feira, da primeira reunião do recem-constituído conselho consultivo brasileiro, capitaneado por Alain Belda, membro do conselho americano. Tendo como integrantes nacionais nomes como Rubens Ometto, Marcelo Odebrecht e Viviane Senna, entre outros.

Agora, se as conversas se estenderam para outros lados, são outros novecentos. É fato que há interessados.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.