TJ aprova plano de recuperação da Schahin e viabiliza novo contrato com Petrobrás

Sonia Racy

13 Março 2017 | 18h09

A Schahin ganhou a briga. Decisão do TJ paulista, ontem, derrubou recurso contra seu plano de recuperação judicial, que prevê pagamento de todos os credores, sem deságio, por 15 anos. Seu passivo estimado é de R$ 6,5 bilhões.

A decisão, tomada pela 2.ª Câmara de Direito Empresarial, lhe dá tempo para se recompor – e, principalmente, mantém de pé a reforma de seu contrato com a Petrobrás para a operação do navio-sonda Vitória 10.000, sua principal fonte de renda.  

Ela tem a receber, da estatal, um saldo de cerca de R$ 1,6 bilhão da Petrobrás até 2019 e a renovação do contrato deve ser por mais dez anos.