Thompson Flores, do TRF-4, fala de presunção de inocência em São Paulo

Thompson Flores, do TRF-4, fala de presunção de inocência em São Paulo

Sonia Racy

29 Junho 2018 | 19h41

CARLOS EDUARDO THOMPSON FLORES

CARLOS EDUARDO THOMPSON FLORES. FOTO: JEFFERSON BERNARDES / ESTADAO

Carlos Eduardo Thompson Flores, presidente do TRF-4 – que condenou Lula em segunda instância –, relembrou nesta sexta-feira, em almoço no Instituto dos Advogados de SP, o caso de uma lei controversa de 1970.

Ela tornou inelegível quem era só… alvo de denúncia recebida pela Justiça por crimes contra a fé pública. Contestada a regra, na época, o STF decidiu que era constitucional.

Para Thompson Flores, o resultado disso foi o acórdão que “de forma mais erudita na história do STF enfrentou a questão da presunção de inocência e sua projeção em matéria eleitoral”.