“Tenho Pânico do CQC”, diz Preta Gil

“Tenho Pânico do CQC”, diz Preta Gil

Redação

07 de novembro de 2008 | 17h12

Foto: Luciana Prezia/AE


Foi Preta Gil quem indicou o amigo de infância Ricardo Brajterman para Carolina Dieckmann quando ela quis processar o programa “Pânico na TV”, em 2006. Boa escolha. Em pouco tempo o jovem advogado carioca se tornou o preferido das estrelas indignadas com os humoristas da RedeTV!
Nessa quinta-feira, na 48ª Vara Cível do Rio, ele somou ao seu currículo a quarta vitória consecutiva contra os humoristas do Pânico!.
Depois de Carolina Dieckmann, Luana Piovani e Dado Dolabella, foi a vez de Preta ir à forra. A RedeTV! foi condenada a depositar um cheque de R$ 100 mil na conta da moça, por ela ter sido perseguida e chamada insistentemente de gorda.
Ao ou vir a sentença, Preta chorou. “Fiquei muito emocionada. Foi uma vitória importantíssima contra essa onda de programas que humilham as pessoas famosas e os anônimos. O Pânico gosta de humilhar”, disse ela para o Direto da Fonte.

Na saída do Fórum, ainda bastante emocionada, recebeu um telefonema de Carolina Dieckmann. As duas celebraram bastante. “Tolerei as brincadeiras durante muito tempo, mas a tolerância foi se esgotando na medida em que eles pegavam mais pesado”.

Em relação ao CQC, da Band, Preta conta que não guarda mágoas, apesar de não ter gostado nada de algumas piadas de mau gosto no casamento de sua irmã, Marina Moreno. “Eles disseram coisas do tipo: ‘tá com inveja’, ‘tá encalhada’. Mas depois o (Marcelo) Tas, que é um jornalista íntegro, me pediu desculpas públicas. O humor do CQC é bem mais sofisticado e inteligente que o do Pânico.”. Elogios à parte, ela brinca: “Tenho Pânico do CQC”
Por Pedro Venceslau

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.