Telhado

Sonia Racy

11 de janeiro de 2014 | 01h07

A Associação Italiana dos Familiares e Vítimas do Amianto vai pedir, oficialmente, para que o Itamaraty casse a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul outorgada, em 1996, a Stephan Schmidheiny, ex-dono da Eternit.

Motivo? Em 2012, a Justiça de Turim condenou o empresário e seu sócio – barão Cartier de Marchienne – a 16 anos de prisão, por terem causado doenças (entre as quais câncer) em mais de 2.500 trabalhadores da fábrica da companhia em Casale Monferrato, no Piemonte.

Em segunda instância, a pena foi aumentada para 18 anos. Ainda cabe recurso.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.