Tasso relata, na CCJ do Senado, projeto que pode facilitar reforma da Previdência

Sonia Racy

14 de junho de 2019 | 00h55

TASSO JEREISSATI

TASSO JEREISSATI. FOTO: NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Parceria viável

Já está na CCJ do Senado, e com Tasso Jereissati de relator, projeto que pode melhorar a vida dos Estados e municípios e, indiretamente, até facilitar as coisas para a reforma da Previdência. Trata-se de uma regra segura que permitiria o uso dos recursos dos fundos de participação, repassados mensalmente pela União, como garantia às empresas em futuros contratos de PPP com prefeituras e governos estaduais.

Primeira vantagem: o texto cria uma espécie de seguro permanente às empresas interessadas. Segunda: sem risco de calote, os juros dos contratos certamente tendem a ser menores. Tasso promete apresentar a análise do projeto, que é de Antonio Anastasia, em poucas semanas.

Antecipando

Uma das mensagens enviadas por Moro a Deltan Dallagnol – e divulgada pelo site Intercept – mostra que o ex-juiz já sabia que ficaria com o caso do tríplex de Lula um dia antes de a Justiça de São Paulo anunciar essa decisão.

“Nobre, isso não pode vazar, mas é bastante provável que a ação penal de SP seja declinada para cá se o LL (Lula) não virar ministro antes”, escreveu Moro, segundo o site.

No dia seguinte, a juíza Maria Priscilla Veiga Oliveira, contrariou o MP paulista e mandou o caso para Moro.

Torcida

Rosangela Moro tirou do armário a célebre camiseta, feita por Sergio K, com os dizeres “In Moro We Trust”.

A mulher do ministro pediu aos seguidores no Instagram que colocassem a foto em seu perfil e subissem uma hashtag com a frase.

Modernizar já

Deputados do Novo, liberais, juntaram-se a outros espectros políticos – até socialistas do PSB – para criar um pacote de leis visando maior eficiência do Estado.

Entre os autores dos textos, grupo de juristas que inclui Bruno Dantas, do TCU e Marianna Willeman, do Tribunal de Contas do RJ.

Quem vem

Os gourmets agradecem. Quem desembarca em terras brasileiras, no dia 19 de julho, é o francês André Cointreau, presidente internacional da Le Cordon Bleu.

Vem a ser o responsável pela expansão em nível mundial da marca, que é uma das escolas mais prestigiadas da gastronomia mundial.

Leia mais notas da coluna:
+ Informalidade marca jantar de Skaf para Bolsonaro e Guedes
+ Frente contra Corrupção do Congresso se preocupa com episódio envolvendo Moro

Tendências: