Tarda…

Sonia Racy

11 de outubro de 2013 | 01h06

A lentidão da Justiça levou a Defensoria Pública de SP ao CNJ. O órgão quer saber por que denúncia de extorsão contra policiais ficou parada mais de quatro anos na Vara Criminal de Taboão da Serra.

E pede que a conduta de juízes e diretores do cartório local seja investigada.

…mas não falha?

O denunciante acusa 4 policiais de pedirem R$ 6 mil para não prendê-lo, em 2008, por tráfico. O caso foi parar na corregedoria da Polícia Civil, e os agentes chegaram a ser presos e denunciados. Mas a ação estacionou em 2009.

Tarda 2

A Vara de Taboão da Serra informou que “inúmeros problemas” levaram ao atraso. E que sua situação é “complicada” pela falta de servidores e juízes e excesso de processos. “Conseguimos movimentar apenas as ações de réus presos, correndo sério risco de ver prescritas as de réus soltos”, admite o juiz Sergio Augusto Duarte Moreira.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: