Sweet home

Sonia Racy

01 de outubro de 2014 | 01h10

Advogados criminalistas fazem pressão. Querem que seus clientes citados nas delações premiadas de Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef– os comuns mortais, que, diferentemente dos políticos, não têm foro privilegiado – sejam julgados em seus estados de origem.

Tudo para fugir do juiz paranaense Sergio Moro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.