Suspense

Sonia Racy

29 de abril de 2015 | 01h10

Na assembleia de acionistas a ser realizada hoje, no Rio, a Petrobrás pretende, entre outras, eleger dois novos membros do conselho fiscal e de administração – representando acionistas minoritários.

Na última vez em que este tipo de votação aconteceu, houve grande discussão sobre quem poderia votar. A pergunta, naquela ocasião, era: acionista minoritário ligado ao controlador da estatal, como a Previ, poderia escolher?

O caso foi parar na CVM, que proibiu o voto dessa classe de minoritários.

Suspense 2

A dúvida: será que o Bradesco, acionista minoritário, conseguirá eleger seus indicados – Eduardo Gentil e Otávio Yazbek – sem o apoio da Previ? O fundo de pensão do BB, também minoritário, votou com o banco na assembleia anterior.

Correm por fora Guilherme Affonso Ferreira e Walter Mendes de Oliveira Filho.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: