Supremo retoma hoje o julgamento de ações sobre privatização de ativos da Petrobrás

Sonia Racy

05 de junho de 2019 | 00h55

SEDE DA PETROBRÁS

SEDE DA PETROBRÁS. FOTO: SERGIO MORAES/REUTERS

Dia D

O plenário do Supremo retoma hoje o julgamento das Ações de Inconstitucionalidade (ADIs) cruciais não só para o futuro da Petrobrás mas também para o de outras estatais que desejam privatizar ativos.

Na sessão, os ministros vão decidir se a empresa petrolífera pode seguir com seu plano de vender ativos de menor retorno, para pagar dívida e investir no pré-sal. Ou se precisa do aval do Congresso para fazer desinvestimentos.

Dia D 2

A defesa da companhia entende, com base na Lei do Petróleo, que, assim como tem autonomia para criar empresas, tem também para vendê-las.

Dia D 3

De mais de 120 empresas subsidiárias e coligadas criadas em seus 65 anos de história da Petrobrás, somente uma foi resultado de lei específica: a Transpetro.

Nos ‘i’s

Paulo Guedes confirmou ontem, na Câmara, notícia dada pela coluna há duas semanas: a de que o acordo entre o Mercosul e a UE pode ser fechado em “três, quatro semanas”. Segundo o ministro, “ou fechamos ou vamos parar de conversar. Quem conversa 20 anos e não resolve é porque não quer”.

Produtores de vinho do RS fazem pressão contra.

ONU diz não

Mara Gabrilli não aceitou convite de Bruno Araújo para ser a primeira vice-presidente do PSDB. Consultou o Comitê de Direitos da Pessoa com Deficiência da ONU, do qual faz parte, porque há restrições para tanto.

Araújo convidou Bruna Furlan – a deputada aceitou.

Com… prova?

O governo estadual mandou para a Alesp alteração do projeto de lei que reduz o ICMS do combustível de aviação de 25% para 12%.

Vai valer só para as aéreas que comprovarem aumento das operações.

Cultura no tribunal

Volta ao TCU, a partir de hoje, o julgamento da política nacional audiovisual da Ancine. O MP junto ao tribunal pediu esclarecimentos. Beto Vasconcelos, ex-secretário nacional de Justiça, assumiu a defesa dos ex-dirigentes da agência – cuja política está sendo questionada pelos sucessores.

Repaginada

Hit dos anos 1980, Tempos Modernos, de Lulu Santos, acaba de ganhar uma nova versão – nas vozes de Fernanda Abreu e Toni Garrido.

Ela chega às plataformas digitais sexta-feira, resultado de empreitada da Musickeria – a empresa reuniu em um mesmo projeto grupo de artistas todos na casa dos 50.

Música na Copa

Definida a abertura da Copa América. Antes do jogo inaugural, dia 14, um show focará o continente sul-americano e a energia de seus povos. O som será do maestro Renato Zanuto e do Dynamic Coral e Orquestra, em pleno gramado do estádio do Morumbi.

A concepção do espetáculo ficou a cargo de Edson Erdmann – o mesmo que cuidou da Jornada Mundial da Juventude, da reinauguração do estádio Beira Rio e da pira olímpica na igreja da Candelária.

Grande estilo

Vem para o Brasil Kate Raworth, professora de inovação e sustentabilidade nas universidades de Cambridge e Oxford. Ela prega crescimento com prosperidade… humana.

Vem lançar seu livro Doughnut Economics, dia 3 de julho, na Casa Firjan, e será centro de evento dia 4, na Unibes.

Leia mais notas da coluna:
+ TJ considera legal o encerramento unilateral de contas João Baptista Lima Filho
+ MPF discute delações com Gebran Neto e advogados da Lava Jato

Tendências: