Superávit com a China bate recorde de US$ 26,6 bilhões nos primeiros seis meses do ano

Sonia Racy

24 de agosto de 2021 | 00h50

EXPORTAÇOES BRASILEIRAS. FOTO SECOM

Pelo jeito, houve melhora nas relações entre Brasil e China.Marcos Troyjo, especialista em comércio exterior, somou: nesses primeiros seis meses de 2021, o comércio bilateral totalizou US$ 71 bilhões. O maior da história do Brasil, no relacionamento com… qualquer país.

Gira mundo

E dos US$ 37,5 bilhões de superávit do País, conseguidos no mesmo período, US$ 26,6 bilhões se referem ao saldo positivo que o Brasil obtém eu seu comércio com a China.

É também o maior superávit comercial que o Brasil já registrou em um semestre com …qualquer país do mundo.

Mundo 2

Hoje, o Brasil importa mais da Europa do que da… China. As exportações brasileiras para toda Ásia, excluindo China, são equivalentes a soma de tudo que o Brasil vende para os EUA e a Argentina. Esses países são, respectivamente, o segundo e terceiro maiores destinos da exportações brasileiras.

O eleito

Márcio Kayatt foi escolhido por Bolsonaro para integrar o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo como juiz.
Na lista constavam também, os professores da USP Alamiro Velludo e André Ramos Tavares.

Nem nem 

Rodrigo Pacheco declarou ontem, em evento no Secovi, não ver motivo para impeachment nem de Bolsonaro ou de qualquer ministro do STF. Na plateia, ouvindo atentamente, estava Fernando Capez, feliz por ter sido citado pelo presidente do Senado. Que se referiu, no início do seu discurso, aos livros que o diretor do Procon publicou.

Empréstimo de peso

Duas peças pertencentes ao município de SP entram nessa Bienal. São dois vasilhames cerâmicos com datação relativa dos séculos 17 e 18.

Um é parte do sítio arqueológico Casa do Itaim Bibi e foi coletado na década de 1980. O segundo, encontrado no município de Guarulhos pela arqueóloga Neide Guidon, pertence ao acervo do Centro de Arqueologia de São Paulo.

Cordel suspenso

Nascido no sertão do Ceará, Francisco de Almeida monta uma grande instalação na rotunda do CCBB RJ, como parte da exposição Brasilidade Pós-Modernismo.

Diversas xilogravuras produzidas pelo artista serão suspensas, como um móbile, em alusão à literatura de cordel – usualmente composta de páginas soltas produzidas em trabalhos do tipo. A partir do dia 1º.

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.