Sugerir…

Sonia Racy

18 de novembro de 2014 | 01h10

A CGU deveria entrar imediatamente com ação administrativa contra as empresas – todas, a começar pela Petrobrás – envolvidas nas fraudes investigadas pela Operação Lava Jato, da PF.

O recado, em tom de certa urgência, é de Modesto Carvalhosa, advogado expert em corrupção no Brasil. “Se a CGU nada fizer, o MPF deveria também propor ações. A Lei Anticorrupção está em pleno vigor e certamente levaria a multas brutais.”

É sabido que a parte mais dolorida do empresário é… o bolso.

…não ofende

Carvalhosa acaba de colocar um ponto final nas 400 páginas que escreveu sobre a lei que penaliza empresas por atos de corrupção. Considerações Sobre a Lei Anticorrupção das Pessoas Jurídicas sai no início de dezembro.

Desafio? Fazê-la vigorar “sem as limitações da influência política”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.