STJ rejeita sentença americana contra brasileiro no valor de US$ 100 milhões

Sonia Racy

25 de abril de 2017 | 14h28

A Corte Especial de Justiça do STJ negou a homologação de duas sentenças vindas da Justiça arbitral americana que condenavam um empresário brasileiro a pagar multa de cerca de US$ 100 milhões. O STJ entendeu — apoiando voto do ministro João Otávio Noronha — que as decisões estrangeiras violavam a ordem pública e a legislação do Brasil.

De que se trata? De um pedido indenizatório feito pela Abengoa Bioenergia. Segundo esse conglomerado, o Grupo Denini Agro, vendido pelo empresário brasileiro, teria garantido que ele tem capacidade para moer cerca de sete milhões de toneladas de cana por ano-safra; todavia, posteriormente, contatou-se um déficit produtivo de cerca de um milhão de toneladas.

O proprietário do grupo Denini Agro contestou a imparcialidade do árbitro americano. Segundo seus advogados, ele seria sócio de um escritório que já havia recebido altos valores em honorários do grupo rival, por outras demandas em território americano.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.