SP-Arte abre hoje com mais de 180 eventos paralelos

Sonia Racy

05 Abril 2017 | 00h45

A SP-Arte – que abre hoje na Bienal – ganhou, esse ano, o status de festival. Como? Somando mais de 180 eventos paralelos em diversos museus e galerias da cidade.

* Entre os destaques da feira está a obra Os Cavaleiros (foto ao lado) – maquete da parte frontal do Monumento às Bandeiras – escultura mais famosa de Victor Brecheret, da Ricardo Camargo Galeria. Feita em gesso patinado, foi vendida em 1991 – quando Camargo realizou a primeira exposição de Brecheret, no circuito comercial, após sua morte em 1955. Vinte e seis anos depois, retorna às mãos do galerista – que a mostrará ao público.

* Doação: a Associação Para o Patrimônio Contemporâneo viabiliza, hoje, a doação, feita por Daniela e Helio Seibel, de uma obra do Artur Lescher para a Pinacoteca durante a abertura da feira, no stand da Galeria Nara Roesler.

*No quesito internacional, Jennifer Roberts, a todo-poderosa da Design Miami, desembarca especialmente para visitar a feira e a loja de Etel Carmona. A designer, aliás, apresenta objetos feitos em parceria com Carlos Vergara.

* O setor de design acolhe pela primeira vez um espaço com peças assinadas por sete arquitetos : Arthur de Mattos Casas, Dado Castello Branco, Felippe Crescenti, Lia Siqueira e Pedro Mendes da Rocha.

* Os museus também entram na roda oferecendo ao público uma intensa programação cultural. O Tomie Ohtake abre suas portas durante o Gallery Night com uma conversa entre Dalila Gonçalves, Navid Nuur, Pier Stockholm e Waltércio Caldas – todos com obras presentes na SP-Arte. O Masp promove visita guiada com o arquiteto Martin Corullon. Já o MAM oferece um tour pelo Jardim de Esculturas do museu e oficina com o escultor cego Rogério Ratão. E a Pinacoteca faz visita na exposição Metrópole: Experiência Paulistana, com Tadeu Chiarelli.

* No sábado, ciclistas vão circular por espaços públicos com bicicletas carregadas de flores. A obra de Yayoi Kusama também constará do evento/ MARILIA NEUSTEIN