Sonhos de agosto

Sonia Racy

26 Julho 2015 | 01h04

Aliados do governo estão convencidos de que a melhor coisa a fazer, no atual cenário, é torcer para que a situação de Eduardo Cunha – citado na Operação Lava Jato – se complique a ponto de ele ter de deixar a Presidência da Câmara. Assumiria o vice, Waldir Maranhão, que marcaria nova eleição.

Sonhos 2

Mas por que Cunha sairia? Na torcida desses aliados, se as denúncias na Lava Jato o levarem ao STF, pode haver espaço para a Comissão de Ética da Câmara representar contra ele por quebra de decoro. A torcida final? Que a Comissão recomende a perda do mandato. A última palavra seria dada pelo plenário.