Somos…

Sonia Racy

29 de abril de 2014 | 01h08

O racismo quase fez Paulinho, do Tottenham, desistir do futebol aos 17 anos, quando jogava na Lituânia. “Ele escondeu da gente, porque sabia que, se contasse, sairia daqui correndo para buscá-lo. Não criei meus filhos para ficarem sofrendo em outro país”, disse à coluna Érica Lima Nascimento, mãe do jogador. “Tenho fé que ele não passará por isso de novo.”

…todos…

Ela defende punição “mais radical” contra o racismo. E diz que Daniel Alves “pensou rápido, foi corajoso e muito forte para continuar o jogo”.

O atleta comeu banana arremessada por torcedor durante o jogo entre Barcelona e Villarreal, domingo.

…macacos

Guga Ketzer, da Loducca – que auxiliou a equipe de Neymar no manifesto #somostodosmacacos –, rebate as críticas de que o caráter publicitário desmereça a iniciativa. A ideia, diz, partiu do próprio jogador: “Nós, agência, só ajudamos a formatar um desejo dele de combater o racismo”.

Segundo Ketzer, a ação foi uma resposta “icônica e irônica” às manifestações racistas que os jogadores têm sofrido.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.