Sob pressão

Sonia Racy

07 Agosto 2015 | 00h20

A rapidez com que o Congresso aprovou ontem, de uma só tacada, as contas de Itamar, FHC e duas de Lula, ecoou entre ministros do TCU como um alerta. Foi como se os parlamentares dissessem: “Corremos por aqui, agora vocês corram por aí”.

É que os congressistas sabem que o tribunal não trabalha com prazos. E o relator Augusto Nardes já afirmou, semanas atrás, que a avaliação das contas de Dilma de 2014 seria concluída “ali pelo começo de setembro”.

No ritmo em que correm as coisas em Brasília, por estes dias, a sensação dominante é que setembro… é prazo demais.