Só nos transportes, previsão é de 44 leilões em 2020

Só nos transportes, previsão é de 44 leilões em 2020

Sonia Racy

03 de janeiro de 2020 | 00h48


LEILÃO NA B3 EM SÃO PAULO. FOTO: HELVIO ROMERO/ESTADÃO

Não vai faltar trabalho para a Casa Civil em 2020. Onix Lorenzoni vai coordenar, a partir de já, boa parte do Programa de Parcerias em Investimentos – que viabilizou mais de 30 leilões no ano passado e agora tem pela frente, só na área de infraestrutura de transporte, outros 44 – que incluem, no segundo semestre, a Nova Dutra.

A trabalheira maior será acertar as regras do jogo com o Congresso. Ali vão tramitar, ao longo do ano, as normas para essas operações – incluindo áreas como petróleo, ferrovias e saneamento.

Em Noronha, uma discussão
sobre futuro partidário

Na virada do ano, Felipe Rigoni encontrou em Fernando de Noronha o ex-ministro Mendonça Filho, de quem recebeu, em tom de brincadeira , um convite para ir para o DEM. O deputado federal é um dos nove do PSB que tiveram as atividades partidárias suspensas por terem votado a favor da Previdência.

À coluna, Rigoni afirmou que só vai tomar alguma decisão sobre novo partido depois do recesso. Ele fica em Noronha até segunda-feira.

Turismo bate recordes
nas Cataratas do Iguaçu 

Rio, Sampa e Salvador à parte, as Cataratas do Iguaçu brilharam nos dias finais de 2019, batendo seu recorde de 2 milhões de visitantes/ano. Números definitivos ainda estão por sair. E perto dali a usina de Itaipu superou, no dia 30, sua melhor marca, que era de 1,025 milhão de pessoas, do ano passado.

Erasmo canta em show
e lança EP sobre samba

Convidado, Erasmo Carlos aceitou. Vai inaugurar o projeto Bar do Zeca Pagodinho Convida, com o show Quem Foi que Disse que Eu Não Faço Samba? Erasmo lança, no evento, novo EP com oito faixas inéditas. Dia 14, no Rio.

Outro lado
O Observatório Judaico dos Direitos Humanos Henry Sobel não apoia a opinião da Federação Israelita do Estado, que em nota na coluna considerou “positivo” o primeiro ano do governo Bolsonaro. Para o grupo, o que se viu foram “ataques oficiais a movimentos sociais e a minorias”, que a seu ver são “um ataque aos judeus brasileiros”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: