Só 1% de cidades, no País, luta por redução de gases via mobilidade urbana

Só 1% de cidades, no País, luta por redução de gases via mobilidade urbana

Sonia Racy

09 de maio de 2019 | 12h05


ÔNIBUS A BATERIA. FOTO MOBILIZE.ORG.BR

 

Enquanto ambientalistas brigam com o governo sobre políticas de preservação do verde, uma pesquisa encomendada pela Confederação Nacional de Municípios e divulgada hoje mostra que a descarbonização do ar, uma das metas assumidas pelo Brasil nas Mudanças Climáticas da ONU, mal está engatinhando.

Alguns dos números apurados pela CNM: só 0,5% das cidades brasileiras com mais de 300 mil habitantes incentiva a substituição das frotas de ônibus atuais por carros elétricos e não mais que 1% estudam a redução na emissão de gases por meio da mobilidade urbana. E terceiro, apenas 8,1% das cidades pesquisadas têm veículos híbridos em suas frotas.

Os dados estão sendo revelados, em Brasília, em seminário internacional com a presença do vice-ministro português José Mendes. Ligado ao meio ambiente e à transição energética, Mendes veio ao Brasil lançar a Aliança pela Descarbonização dos Transportes. Entre os presentes, autoridades brasileiras e europeias e de empresas como Renault, Nissan, a chinesa BYD e a franco-brasileira Sunlution, entre outros players.

+ Leia a íntegra da coluna