Sintonia entre Senado, Câmara e Executivo é maior do que parece

Sonia Racy

20 de julho de 2019 | 00h55

CONGRESSO

CONGRESSO. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Dois mais um….

Quem conversou, esta semana, em Brasília, com alguns dos principais personagens que detêm poder para costurar o conteúdo e também a velocidade das reformas econômicas que tramitam no Congresso captou uma grande sintonia entre Senado, Câmara e Executivo.

Coisa que, publicamente, não é tão clara assim.

… dão dois…

Tudo bem, as propostas a serem apresentadas tanto para mudar a Previdência como ajustar a tributação terão três formatos diferentes. Mas as moedas de negociação incluídas nos textos – ou melhor, os elefantes da sala – são discretamente reconhecidas como tal.

E não devem fazer parte do texto final.

…que viram um

Melhor: dos textos finais. A exemplo da PEC da Previdência e da PEC paralela também previdenciária montada pelo Senado, os projetos de emenda constitucional da reforma tributária, aparentemente, serão igualmente divididos em partes: um incluindo Estados e municípios e outro concentrado no imposto único sobre transações, a ser apresentado pelo Executivo.

Noves fora

Gustavo Junqueira apoia a decisão da ministra Tereza Cristina de substituir a direção da Embrapa por meio de processo técnico de seleção. “Estamos trilhando o mesmo caminho”, diz o secretário de Agricultura do Estado.

Salto

Apesar de Sérgio Moro aparecer nas redes desde março de 2014, com o início da Lava Jato, foi junho passado – quando virou alvo de vazamentos – o mês de maior interesse por ele no Google.

Entre 8 e 10 de junho, as buscas pelo juiz saltaram 4.900%. Mas o dia de pico ainda é 13 de março de 2016 – quando ele foi exaltado como herói nos protestos pró-impeachment de Dilma.

Nova fase

Tudo indica que vem aí um “estilo Bolsonaro”… no Mercosul. O presidente assumiu a presidência provisória do bloco comercial – por seis meses – esta semana.

E o chanceler Ernesto Araújo já anunciou “enxugamento institucional” por entender que a aliança tem fóruns demais e que alguns sequer se reúnem.

Telão em risco

Autora do livro Desvendando a Ancine e ex-diretora da agência, Vera Zaverucha acredita que se Bolsonaro acabar com ela, “o cinema no Brasil acaba”.

A especialista em legislação de cinema afirma ainda que, o “filtro” que o presidente sugere implementar é censura – “o que fere a Constituição brasileira”.

Ruas limpas

O Movimento Recicla Sampa comemora: em cinco meses de vida recebeu 138 mil apoiadores e teve no portal 42 mil acessos. Mas avisa que o desafio continua: SP produz por dia 12 mil toneladas de lixo – e consegue reciclar 40% desse volume.

Leia mais notas da coluna:
+ Associação médica vai à Justiça contra validação de diplomas do exterior
+ Ministério da Economia tem criado medidas de estímulo ao consumo

Tendências: