Sin perder la ternura

Sonia Racy

27 Julho 2016 | 00h40

Quem conversa com Henrique Meirelles sai com a certeza: o ministro só fará concessões fiscais até o impeachment ser votado. Depois disso, a vida será dura.

Não passa pela cabeça de Meirelles a possibilidade de o Brasil não conseguir cumprir a absurda meta fiscal de 2016: nada menos que um rombo de R$ 170 bilhões.