Sertanejo supera o funk como gênero predileto nas favelas

Sertanejo supera o funk como gênero predileto nas favelas

Sonia Racy

26 de janeiro de 2020 | 01h10

FAVELA DA ROCINHA, NO RIO. FOTO: ESTADÃO

Que funk, que nada. O gênero musical predileto da maior parte dos moradores de favelas no País é o sertanejo. A “descoberta” é do Instituto Locomotiva – que, em parceria com o Data Favela e a Comunidade Door, consultou 2.670 pessoas em favelas de todo o País. Com 32% das menções, o sertanejo aparece à frente dos 22% do funk e dos 19% de samba e música gospel, empatados.

“Esse tipo de música deixou de ser o porta-voz da vida no interior do País para assumir esse papel nas cidades”, ressalta Renato Meirelles, do Locomotiva. O sertanejo é muito forte entre as mulheres (39%) e o gospel o mais citado entre moradores acima dos 50 anos.

Bom sinal

Este ano, o carnaval de SP vai ter o Samba com as Mãos, projeto em vídeo com tradução em Libras dos 14 sambas-enredos do Grupo Especial de SP.

É uma parceria da TV Câmara com a Secretaria da Pessoa com Deficiência para inclusão cidadã. O material será transmitido no sambódromo do Anhembi.

Sabesp, terceira maior
receita bruta no setor 

A Sabesp surpreendeu até o pessoal do ramo. Levantamento da Global Water Intelligence a coloca, hoje, como a terceira maior empresa de saneamento básico do planeta, em termos de receita bruta. Seu faturamento em 2019 bateu em US$ 3,95 bilhões.

Entre as 50 maiores pesquisadas no setor, ela fica atrás apenas de duas francesas – a Veolia, que faturou US$ 12,1 bilhões, e a Suez, que teve US$ 10,7 bilhões.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: