Será?

Sonia Racy

28 de novembro de 2015 | 01h22

Feliz por ter sido momentaneamente esquecido, Eduardo Cunha disse ontem, a pelo menos um interlocutor, que vai dar início ao processo de impeachment de Dilma na terça-feira.

 

É, faz sentido

O silêncio da tropa de choque e aliados de Cunha esta semana foi acertado em jantar na casa do peemedebista na segunda-feira. A avaliação foi que o clima hostil impede que o presidente da Câmara seja ouvido – inclusive pelos parlamentares de sua legenda.