Sem verbas, festa de centrais sindicais é mais barata e sem sorteios

Sonia Racy

02 de maio de 2019 | 00h37

Franciscano

O ato conjunto das dez centrais sindicais ontem, em SP, custou menos da metade do que a Força Sindical, sozinha, gastava em outros Primeiros de Maio. Foram R$ 700 mil, de acordo com João Carlos Gonçalves, o Juruna , contra R$ 1,5 milhão de festas anteriores.

Da mesma forma, a ausência dos sorteios de carros e casas, grande chamariz de público de outros anos, se deve à falta de patrocinadores. Que, no caso da Força, eram basicamente… BB e Caixa.

Sem diferença

A maioria dos brasileiros, 56%, discorda da afirmação de que a reforma da Previdência de Bolsonaro imponha perdas maiores aos trabalhadores do que aos setores privilegiados. No levantamento, o Idea Big Data ouviu 1.500 pessoas, com margem de erro de 2,5 pontos.

Adeus, Gardênia

O restaurante Gardênia, da Praça dos Omaguás, vai fechar as portas. O motivo, avisam os donos, é a deterioração do local nos dois últimos anos, em especial a falta de iluminação e segurança, que já levaram ao fechamento de imóveis comerciais do local.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.