Sem muito suor

Redação

24 de outubro de 2009 | 10h41

Minutos depois do anúncio da medida de cobrança de IOF sobre recursos estrangeiros, esta semana, o economista José Roberto Mendonça de Barros, da MB Associados, fez lista de previsões no curto prazo.

A curva longa de juros seria alterada; o custo de captação e do crédito sofreria alguma elevação; a rolagem da dívida pública ficaria um pouco mais cara; IPOs e Bolsa sofreriam e as ADR’s agradeceriam.

A insegurança quanto à qualidade da política econômica se elevaria. Seguro, mesmo, somente o aumento da arrecadação de impostos.

E mais: o câmbio não teria uma elevação duradoura.

O fim da semana chegou e… bingo, acertou na mosca.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: