Sem maiores explicações, Salles estende prazo de grupo sobre fusão do Ibama e do ICMBio

Sonia Racy

12 de maio de 2021 | 00h50

RICARDO SALLES

RICARDO SALLES. FOTO: NILTON FUKUDA/ESTADÃO

O grupo de trabalho criado por Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, para avaliar uma possível fusão do Ibama e do ICMBio, teve seu prazo estendido, sem explicações, por mais 120 dias. O deputado Ivan Valente ficou intrigado e resolveu entrar com requerimento, via lei de acesso à informação, para saber o porquê.

O ministério justificou que a prorrogação ocorreu “face à complexidade do tema”.

Tempo 2

Dos sete componentes, da comissão, seis são militares – a exceção é Eduardo Bim, presidente do próprio Ibama. E desde outubro de 2020, foram realizadas 16 reuniões.

Ao Ibama cabem desafios, como o combate ao desmatamento, controle ambiental e licenciamento. Já ao ICMBio compete cuidar das Unidades de Conservação e espécies ameaçadas.

Insistentes

Agora foi a vez do deputado Edmir Chedid pedir (em nome de cinco prefeitos que já se manifestaram, conforme registrou a coluna), a revisão do plano de Manejo da APA Sistema Cantareira.

Para o secretário de Estado, Marco Vinholi.

Vaga

Segundo se apurou, Kassio Nunes Marques, do STF, está apoiando Humberto Martins, presidente do STJ, para a futura vaga de Marco Aurélio Mello que se aposenta em julho.

As famílias seriam amigas.

Esquentando

A região da Faria Lima ganhará um novo espaço de cultura: o piano bar Fino da Bossa – Canção de Autor. Construído durante a pandemia, o local deve abrir assim que as taxas de contágio da covid diminuírem.

Raul Corrêa da Silva, sócio dos restaurantes Cantaloup e Loup, é o responsável pela empreitada.

No gogó

Ivete Sangalo é a nova embaixadora da…Perdigão.

Blindado?

André Porciúncula, integrante da secretaria estadual de Cultura, se recusou responder aos questionamentos propostos, por e-mail, pelo Fórum Nacional de Cultura – grupo composto por secretários e dirigentes estaduais.

O ex-PM alegou que o fórum não é órgão de fiscalização do ministério e não representa proponentes nem agentes culturais.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.