Sem lei, sem verba

Redação

15 de janeiro de 2010 | 08h27

A restauração do Copan emperrou. Sem receber um único cuidado sério desde sua inauguração, em 1966, o prédio, um dos símbolos de São Paulo, já tem projeto para recuperar os 50 mil metros quadrados de pastilhas.

O problema é que os patrocinadores que podem bancar a reforma querem em troca um destaque visual que ignora o Cidade Limpa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.