Sem festa

Sonia Racy

10 de junho de 2015 | 01h04

Não dá para se dizer que o pacote de R$ 198 bilhões, lançado ontem, foi um sucesso entre integrantes da iniciativa privada. Empresários com quem a coluna conversou viram o anúncio com muita desconfiança. Um deles chegou a classificar o conjunto de “megalomania”.

“Se conseguirem tirar 20% dos projetos do papel será a glória”, ponderou um deles. Outro, mais irônico, atacou: “Se Power Point refletisse a realidade, Eike Batista já era dono do Brasil”. Um terceiro reclamou: “Ninguém explicou direito de onde virão os recursos” – e um último, no fim da tarde, sequer havia… tomado conhecimento.

O passado condena

Todos, porém, repararam: tanto Dilma, como Nelson Barbosa e Joaquim Levy enfatizaram a “estabilidade regulatória”.