Sem dramas

Sonia Racy

14 de abril de 2015 | 01h08

Pelas conversas de galeristas e colecionadores, as vendas na SP-Arte, encerrada domingo, foram boas em comparação ao que se esperava. O faturamento foi menor que o de 2014 – mas, ainda assim, surpreendente diante da crise econômica do País.

Maior preço do evento? Pode ter sido a bela obra-instalação de quase 60 m² de Daniel Buren. Pela qual foram pedidos US$ 350 mil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: